Orixás

 

Na mitologia yoruba, orixás (Língua yoruba 'Òrìsà'; em espanhol 'Oricha'; em inglês 'Orisha') são divindades ou semideuses criados pelo deus supremo Olorun. Os orixás são guardiões dos elementos da natureza e representam todos os seus domínios no aye (a realidade física em que os humanos estão inseridos segundo a tradição iorubá).  Também existem orixás intermediários entre os homens e o panteão africano que não são considerados deuses, são considerados "ancestrais divinizados após à morte".

O culto, no Batuque, é feito exclusivamente aos Orixás, sendo o Bará o primeiro a ser homenageado antes de qualquer outro, e encontra-se seu assentamento em todos os terreiros, no Candomblé o chamam de Exú.

Entre os Orixás não há hierarquia, um não é mais importante do que o outro, eles simplesmente se completam cada um com determinadas funções dentro do culto. Os principais Orixás cultuados são: Bará, Ogum,Iansã - Oiá, Xangô , Ibeji (que tem seu ritual ligado ao culto de Xangô e Oxum), Odé, Otim, Obá, Ossanha, Xapanã, Oxum , Iemanjá, Oxalá e Orunmila-Ifa ou Orunmilá (ligado ao culto de Oxalá).

 

Referências

 

[1] - JAQUES, André Porto. A Geografia do Batuque: estudos sobre a territorialidade desta religião em Porto Alegre-RS.. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. <http://www.ufrgs.br/labes/publicacoes/orientados/TG_AndrePorto_vdigital.pdf>